Em dezembro de 2019, o governo federal rompeu de forma abrupta o contrato com a ACERP - Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto, organização social responsável pela administração da Cinemateca Brasileira. Desde então, a gestão da maior instituição brasileira dedicada à preservação do patrimônio audiovisual nacional, segue indefinida. O pagamento do quadro técnico tem se dado de forma precária e, um dado gravíssimo, a manutenção dos espaços de conservação está ameaçada. É urgente que a Secretaria do Audiovisual e a Secretaria de Cultura tomem providências para a adequada gestão da Cinemateca Brasileira. Caso contrário, de nossa memória audiovisual restará apenas uma vaga lembrança.


Login


© Associação Brasileira de Preservação Audiovisual - Direitos reservados