Assembleia Geral Ordinária da Associação Brasileira de Preservação Audiovisual, realizada a 15 de junho de 2018

 

Aos quinze dias do mês de junho do ano de dois mil e dezoito, reuniu-se a Assembleia Geral Ordinária da Associação Brasileira de Preservação Audiovisual, no Centro de Artes e Convenções localizado na rua Diogo de Vasconcelos, 328, Bairro Pilar, na cidade de Ouro Preto, Estado de Minas Gerais, conforme convocação feita nos termos de seu Estatuto.

Assinaram a lista de presença 35 (trinta e cinco) associados no pleno gozo de seus direitos e deveres.

Às dezesseis horas e trinta minutos instalou-se a mesa coordenadora dos trabalhos composta por: Carlos Roberto Rodrigues de Souza, presidente; Débora Lúcia Vieira Butruce, secretária; Alexandre Ramos Vasques, tesoureiro; Mateus Nagime Barros da Silva, diretor técnico; e Ariane Cristina Gervásio da Silva, diretora de comunicação.

Após dar as boas vindas aos presentes, o presidente passou ao primeiro ponto da pauta, a saber, a discussão do relatório de atividades desenvolvidas pela Diretoria no segundo ano de seu mandato, relatório esse anteriormente enviado aos associados. Os diretores explanaram com mais detalhe as atividades realizadas e responderam a perguntas feitas pelos associados. A diretora Ariane Gervásio ressaltou novamente a importância de os associados manterem contato constante com a diretoria de comunicação para que as atividades conjuntas serem bastante divulgadas nos diferentes canais das redes sociais e nos boletins da ABPA. Com relação ao questionário aplicado pela ABPA para um mapeamento das condições de preservação da atual produção de curtas-metragens, a associada Amanda Parra salientou a importância de a pesquisa gerar relatórios e dados concretos. A diretora Débora Butruce, falando sobre as mesas realizadas pela ABPA em festivais de cinema, comentou que o público presente é pequeno e em geral reduzido a pessoas que têm algum conhecimento e interesse pelo assunto. Cumpre que a ABPA continue o trabalho de divulgação da importância da preservação audiovisual. A professora Thaís Blank sugeriu que a ponte entre realizadores e a preservação talvez deva ser feita através das universidades que possuam cursos de audiovisual. As discussões sobre o tema também ressaltaram a importância de a ABPA se aproximar de eventos e entidades de televisão. Houve uma solicitação geral para que os relatórios de atividades deixem separadas as realizadas pela diretoria das realizadas pelos associados. Encerradas as discussões sobre os temas levantados pelo Relatório de Atividades, este foi aprovado pela Assembleia.

O Presidente passa ao segundo ponto da pauta, a saber, Prestação de contas: campanha de sócios, planejamento de gastos e discussão de planos para a captação de recursos. O Tesoureiro Alexandre Vasques expõe o Relatório Financeiro e esclarece que o mesmo foi submetido ao Conselho Fiscal. A exposição foi dividida em receitas – basicamente o pagamento das anuidades pelos associados – e despesas. A propósito do pagamento de anuidade pelos associados, algumas dúvidas foram levantadas pelos presentes sobre os prazos para pagamento e mecanismos de inadimplência. Se um associado deixar de pagar duas anuidades, perderá todos os seus direitos? Deverá quitar as anuidades atrasadas para voltar a ter direitos plenos, como por exemplo é o procedimento aplicado pela Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual / Socine? A questão foi bastante debatida e, ao final, tendo em vista que este ano é apenas o segundo da implantação do pagamento de anuidade, acordou-se que durante os próximos meses a diretoria que for eleita estude a questão e sugira uma Norma de Procedimentos a ser apresentada na próxima assembleia geral.

Em seguida, o Presidente submete o relatório financeiro à apreciação da Assembleia, que unanimemente o aprova.

A propósito do terceiro ponto da pauta, a saber: Desenvolvimento de trabalhos dos Grupos Técnicos, os diretores responsáveis pelo GT Técnico e de Comunicação relatam rapidamente as atividades realizadas. O Presidente ressaltou a importância de a próxima diretoria estabelecer com clareza responsabilidades e planos de trabalho para que os Grupos Técnicos efetivamente cumpram seus objetivos.

Passando aos Temas Gerais, o Presidente deu as boas vindas à nova associada Mary Land de Brito Silva, ligada à Cinemateca Potiguar, e ressaltou que no presente momento a questão premente seria a constituição da Comissão Eleitoral encarregada de coordenar os trabalhos de eleição da próxima diretoria. Para compô-la, indica as associadas Albertina Otávia Lacerda Malta, Maria Laura Bezerra e Simone da Invenção Lopes, A Assembleia aprova unanimemente os nomes apresentados.

Após alguma troca de ideias entre os associados presentes e tendo-se esgotado a pauta, o Presidente Carlos Roberto Rodrigues de Souza deu por encerrada esta Assembleia Geral da Associação Brasileira de Preservação Audiovisual às dezoito horas e quarenta e cinco minutos e eu, Débora Lúcia Vieira Butruce, elaborei a presente ata, que vai por mim assinada em primeiro lugar, e pelo Presidente em segundo.
Ouro Preto (MG), 15 de junho de 2017

Débora Lúcia Vieira Butruce
Secretária

Carlos Roberto Rodrigues de Souza
Presidente

Associação Brasileira de Preservação Audiovisual

Faça o download desse documento pelo link.


Login


© Associação Brasileira de Preservação Audiovisual - Direitos reservados